15 factos relacionados com o líder ideológico Stefan Bandera sobre o exército ucraniano UPA que lutou contra ocupação da Ucrânia pela Alemanha Nazi e pela Rússia comunista

Створено: 12 лютого 2018 Перегляди: 66

231. Stepan Bandera nasceu numa família católica (o pai era sacerdote da Igreja Grego-Católica Ucraniana). As primeiras intervenções do grupo de Stepan Bandera foram para chamar a atenção da discriminação brutal dos ucranianos no Oeste da Ucrânia pelo governo polaco que proibia a língua ucraniana nas terras étnicas ucranianas e não uma luta contra os polacos que lá viviam.
2. No início da Segunda Guerra Mundial (30 de Junho de 1941) Bandera esteve preso num campo de concentração alemão "Sachsenhausen" por ter declarado a independência da Ucrânia e por se ter recusado a jurar fidelidade ao governo nazi alemão. Os seus dois irmãos foram torturados e morreram no campo de concentração alemão "Auschwitz".
3. OUN e UPA foram duas organizações e estruturas diferentes; a OUN (Organização dos Nacionalistas da Ucrânia) é uma organização política e ideológica para os combatentes da UPA (Exército dos Rebeldes da Ucrânia) e a UPA foi o maior exército não oficial da Europa (cerca de 200 mil combatentes).
4. Houve duas divisões da
OUN: A OUN M que era dirigida por Andry Melnyk e que cooperava com a Alemanha nazi e a OUN B dirigida por Stepan Bandera que estava contra qualquer cooperação com a Alemanha. O objectivo da OUN B era uma Ucrânia independente e soberana.
5. UPA formou-se em 1942 com as primeiras operações militares contra o exército Alemão e até 1945 teve algumas cooperações com os grupos do exército vermelho também contra as tropas alemãs.
6. Apesar dos mitos soviéticos, os soldados da UPA usaram a sua própria farda com chevrons, possuiam a sua própria identificação, andavam com a bandeira da Ucrânia, tinham medalhas de gratificação, a sua própria identificação e constituiram as suas fileiras.
7. Ao contrário de Estaline que colaborou com Hitler na divisão da Europa (Pacto Molotov Ribbentrop) a UPA e a OUN (B) não colaboraram com nenhum regime imperial da Europa.
Por sua vez os comunistas e os alemães, além do Pacto Molotov-Ribbentrop, organizaram desfiles para em conjunto mostrar ao mundo o seu poderio militar. Os comunistas soviéticos e a Alemanha atacaram em conjunto a Polônia, tendo desencadeado a Segunda Guerra Mundial em 1 de setembro de 1939. Ou seja, o comunismo e o nazismo trabalharam em estreita colaboração mas ao mesmo tempo, culparam por algum motivo o Bandera, que foi levado para o campo de concentração alemão por proclamar a independência da Ucrânia e por se recusar a cooperar com a Alemanha.
8. A UPA nunca realizou operações militares contra civis, ao contrário do exército da URSS e da NKVD que executaram ou levaram milhares de civis para os campos de concentração na Sibéria.
Um dos fatos importantes é que a UPA não ocupou terras estrangeiras, interviu apenas na sua própria terra defendendo o seu povo tanto das forças de ocupação alemãs como das brigadas NKVD
9. Há documentos que mostram que brigadas especiais da NKVD vestiram as fardas dos nacionalistas ucranianos
roubando civis de modo a criar ódio e parar o apoio da população ucraniana ao UPA.
Um dos casos mais conhecidos é o do grupo especial da NKVD dirigido pelo major Sokolov.
Parecida tática foi recentemente usada pelo exército russo na ocupação da Crimeia.
10.Há testemunhos dos membros das brigadas do Exército Vermelho que lutaram dentro do território controlado por alemães na Ucrânia ocidental, que confirmaram que a UPA estava a lutar a favor da independência da Ucrânia e contra o exército alemão. Por exemplo, o mais conhecido é o diário do comandante dos guerrilheiros vermelhos Semen Rudnev: “Há duas semanas que lutamos em conjunto com combatentes da UPA contra os fascistas”. Eles
dizem-nos : "Nós, os nacionalistas ucranianos estamos contra os alemães e contra Moscovo e queremos um estado ucraniano independente". Em seguida, começaram as negociações e os nacionalistas prometeram ajudar-nos e deram ao nosso batalhão quatro sacos de farinha, um saco de cereais, um saco de açúcar e uma caixa de fósforos ".
11. Dentro do exército UPA estavam pessoas de diferentes nacionalidades. Entre quais os mais famosos: russo Vladimir Cheremoshintsev, judeu Hasman Mandik. Também no UPA havia bielorrussos, cazaques, uzbeques, tártaros, armênios, georgianos, gregos entre outros.
12. Um facto confirmado era que a maioria dos médicos na UPA foram judeus. Eles serviram na UPA por sua vontade , lutando braço a braço com os ucranianos pela independência da Ucrânia.
13. A luta da UPA evitou massacres da população ucraniana no Oeste da Ucrânia pelos nazis e pelos comunistas e deu a força ideológica que levou no futuro à proclamação da Independência da Ucrânia.
14. O processo de guerra de Nuremberg não condenou o UPA
nem a OUN por crimes contra civis apesar dos governantes soviéticos os acusarem como colaboradores dos nazis.
15. O UPA nunca foi oficialmente dissolvido.


Ucranianos em Portugal

Громадське незалежне
телебачення 
«Тризуб TV»

tryzub tv

Книга пам'яті


УГКЦ у Португалії

Розпорядок Богослужінь



 

Уроки португальської мови

Відеоархів Спілки:

Статистика
Перегляди статей
5222157
Лічильник

Українська рейтингова система